Polícia Travesti é executada em Camaçari e comentário homofóbico irrita amigos

03 de maio de 2020, às 12:11

Uma travesti de 35 anos foi assassinada na noite de sábado (03), na cidade de Camaçari, região metropolitana de Salvador. O crime aconteceu por volta das 19h, na Avenida Radial B, na região do Centro, próximo a agência da Caixa.

De acordo com o site Informe Baiano, a garota de programa era conhecida como Jade ou Thaíssa. Ela foi identificada pela polícia como Reinaldo de Jesus Santos, seu nome de batismo. Populares disseram que dois bandidos em uma moto se aproximaram da vítima e dispararam vários tiros.

Em uma publicação na página do Facebook ‘Notícias de Camaçari’, um comentário homofóbico irritou amigos de Jade. Um homem escreveu: “Já vai tarde”.

“Um absurdo que uma pessoa que se considera uma criatura de Deus faz um comentário desse diante de um extermínio de uma pessoa. Independente da motivação, não justifica comemorar o crime”, disse o militante dos Direitos Humanos Renildo Barbosa.

Presidente do Grupo Liberos Avantes de Trans, Israylla Drumond relatou que Jade “era uma pessoa maravilhosa e bem”. Ela acredita que a motivação seja homofobia e denunciou o aumento da violência contra travestis no município.

“São muitos casos de agressão e todas as mortes que acontece ali ficam por isso mesmo. Nós vamos fazer uma reunião, sem aglomeração, para discutir o tema. Camaçari está ficando uma cidade muito homofóbica. A gente precisa de justiça”, lamentou Israylla, que é educadora.

A motivação e autoria da morte são investigadas pela Delegacia de Homicídios de Camaçari.

Comentarios