Esportes Jogadores do Fortaleza usam camisa com “alvo” por conta de campanha contra o racismo

03 de dezembro de 2020, às 12:53

No empate entre Fortaleza e Corinthans, que abriu a 24ª rodada da Série A do Brasileiro, uma ação chamada “Alvos do Racismo”, foi promovida pelo time cearense e visava chamar atenção contra o racismo. Jogadores como Bergson e David (negros), foram a campo com um alvo no lugar das listras do uniforme tradicional do Leão do Pici.

A campanha busca discutir o combate à violência racial e reivindica que as situações de injúria racial praticada por torcedores sejam enquadradas nas leis (coisa que até o momento não é).

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, falou sobre o ação promovida na noite de ontem (2).

“Clube de futebol tem uma função social importante porque tem um poder enorme de comunicação, de fazer a mensagem chegar no grande público, que tem a atenção em como o clube fala e se posiciona. A temática do racismo é algo que sempre teve sua relevância, mas, de forma mais recente, diante dos últimos acontecimentos no Brasil e em outros países, tem tomado uma proporção muito grande e é necessário que a gente se posicione. Não basta não ser racista, tem que ser antirracista, tem que combater qualquer tipo de discriminação de cor – pontua Marcelo Paz, presidente do Fortaleza”, disse e completou:

“O Fortaleza tem uma história de luta, de se posicionar e de abranger todas as cores. Tivemos ídolos, jogadores, treinadores, negros, brancos, sem qualquer distinção, sempre foram abraçados pelo clube. Então entendemos a importância de se posicionar com essa ação que foi projetada”.

Comentarios