Entrevistas Geraldo Jr.: Estou diante de uma decisão sem volta

25 de fevereiro de 2020, às 19:44

Presidente da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Geraldo Jr. diz estar diante de uma decisão sem volta que mudará os rumos da sua vida para sempre. O político deve decidir após o Carnaval se será candidato a reeleição como vereador em 2020 ou se compõe a chapa de Bruno Reis como postulante a vice-prefeito.

“É uma decisão que não tem volta. Foi me dado a escolha preferencial pelo prefeito e pelo vice-prefeito de Salvador”, ponderou. A autoridade conversou com o Bahia Notícias sobre o mandato como presidente da Câmara e como deve conduzir a votação da reforma municipal da Previdência no Legislativo. A proposta será apresentada pelo prefeito ACM Neto.

“Não será tolerado atos que vimos na Assembleia Legislativa. Irei debater o assunto, irei ouvir a sociedade civil e a sociedade sindical. Não vou fazer a aprovação da reforma de forma açodada”, prometeu.

Um ano após se tornar presidente da Câmara Municipal de Salvador, o senhor mudou?

Mudei muito. A Câmara me tornou mais paciente, mais tolerante. Foi um desafio muito grande ser eleito pelo voto de vereadores e manter essa liderança. Na eleição de Leo Prates (DEM) tivemos os vencidos e os vencedores. O fato de eu ter sido aclamado pela casa e manter essa liderança, me deu uma responsabilidade com toda a Câmara.

Olhando para trás, qual foi a maior vitória como presidente da Câmara?

A regulamentação dos aplicativos de transporte particular. Foi o maior desafio político que tive na minha vida, afinal de contas estava lidando ali com uma série de outras famílias. Nós tínhamos de um lado 28 mil motorista de aplicativo na cidade contra 21 mil taxistas. Destaco também a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, um projeto que tramitava há mais de 10 anos na Câmara. Conseguimos aprovar esse projeto depois de ouvir a sociedade e os vereadores.

Você reconhece algum atrito que teve com o Executivo no último ano?

A minha relação com o prefeito sempre foi excelente. Ele consegue entender o meu papel como presidente. O que a política não estava acostumada, me permitam os ex-presidentes da Câmara, era mostrar que nós vereadores podemos ser leais e fiéis, sem necessariamente estarmos submissos ao Executivo. A Câmara passou a debater as questões com governo, oposição, bloco independente e o partido independente. E independente da situação, nunca faltei com o prefeito. Inclusive já trabalhei com votos de blocos que não o do governo para aprovar propostas do Executivo Municipal.

Este ano a Câmara votará a reforma municipal da Previdência. Qual a sua avaliação dos protestos contra a reforma estadual na Assembleia Legislativa da Bahia, que teve ovo sendo jogado contra o presidente Nelson Leal e até arma apontada para deputado estadual?

As pessoas não podem confundir liberdade com liberalidade. Não importa a motivação. Você pode postular um desejo, pode encaminhar um requerimento e pode defender um propósito de forma civilizada. A democracia permite isso. Mas precisamos deixar uma coisa muito clara. Não será tolerado tais atos que vimos na Assembleia Legislativa, na Câmara Municipal de Salvador. Eu irei debater o assunto, irei ouvir a sociedade civil e a sociedade sindical. Não vou fazer a aprovação da reforma de forma açodada.

O senhor será candidato a vice na chapa de Bruno Reis?

Tenho duas grandes decisões para tomar na vida. Estou na decisão Y da minha vida. Uma decisão que não tem volta. A primeira opção é ser candidato a vice-prefeito na chapa de Bruno Reis ou ser candidato a vereador para renovar meu mandato como presidente da Câmara. É uma decisão que não tem volta. Foi me dado a escolha preferencial pelo prefeito e pelo vice-prefeito.

Porque as pessoas devem apoiar Bruno Reis e não a major Denice Santiago?

Bruno Reis tem uma história na política. A política, como a vida pessoal, é formada de atos e gestos. Bruno Reis iniciou na política há mais de 20 anos nos bastidores da política. Ele já foi testado como assessor, como coordenador, como deputado estadual. Fez escola como secretário municipal, em posição que se destacaram. Bruno tem o carimbo. Ele foi testado e aprovado.

Comentarios