Bahia Geração distribuída de energia solar cresce em 118% na Bahia

27 de novembro de 2020, às 18:05

O conceito de geração distribuída de energia solar vem sendo adotado em residências e também em empresas na Bahia. A potência instalada baiana cresceu 118% na comparação de janeiro a outubro de 2020 com todo o ano passado, segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) e divulgado pela Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado da Bahia (Seinfra) nesta sexta-feira (27). A capacidade para produção energética a partir da fonte solar no estado aumentou de 63,2 MW para 138,3 MW no período.

De acordo com a Seinfra, aproximadamente, 90% dos municípios baianos já possuem locais que tenham a presença de placas fotovoltaicas gerando a própria energia. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), as cidades com maior capacidade instalada são Salvador, Barreiras, Lauro de Freitas, Camaçari e Amélia Rodrigues.

Os principais benefícios para implantação das placas em imóveis ou estabelecimentos comerciais são o financeiro e o ambiental. No financeiro, a redução do custo pode chegar a atingir o valor mínimo a ser pago na conta de luz. Sobre o meio ambiente, o aproveitamento energético de origem renovável e limpa contribui com o conceito de sustentabilidade.

O Atlas Solar é uma ferramenta que vem ajudando na abertura de empresas do setor energético na Bahia. “Em 2018, lançamos o Atlas com objetivo de atrair novos negócios na área de energia solar no estado. Dois anos depois, podemos analisar de uma forma muito positiva e, principalmente, por termos a segunda maior capacidade instalada da fonte fotovoltaica na geração distribuída da região Nordeste, atrás apenas do Ceará”, destaca Marcus Cavalcanti, secretário de Infraestrutura do Estado.

Líder em geração
Nos empreendimentos com grande capacidade instalada, a Bahia se mantém na liderança nacional da geração de energia a partir das fontes solar e eólica. A fonte solar produziu 1.376,72 GWh entre os meses de janeiro e setembro de 2020, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Ainda de acordo com a ONS, a energia eólica gerou 12.590,21 GWh no mesmo período. Juntas, seriam capazes de atender aproximadamente 13 milhões de residências.

Os parques eólicos Ventos de São Januário 01, 03, 04, 13, 14 e 22 e Serra do Vento e a usina fotovoltaica do Aeroporto de Salvador entraram em atividade neste semestre e contribuem na consolidação desse resultado. Hoje, são 32 empreendimentos solares e 178 eólicos em operação comercial no estado. Mais seis parques eólicos já estão em fase de teste e devem entrar em funcionamento nos próximos meses no território baiano.

Comentarios