Brasil Doria pede abertura de inquérito contra bolsonarista Sara Winter

01 de junho de 2020, às 17:09

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), entrou com um pedido de instauração de inquérito contra a ativista de extrema-direita e apoiadora de Bolsonaro, Sara Winter. Na notícia-crime, o tucano pede que a Polícia Civil investigue 31 supostos crimes de difamação e uma ameaça feitos a ele por meio de publicações em uma rede social.

Sara Winter, que se diz ex-feminista e já foi ativista do grupo radical ucraniano “Femen”, tomou os noticiários semana passada após ser investigada em inquérito sobre fake news. No episódio, a bolsonarista ameaçou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. De acordo com a revista Veja, Sara já tem um pedido de prisão preventiva redigido na Procuradoria-Geral da República (PGR).

sara-winter
Foto: YouTube/Reprodução

 

Em suas publicações na redes, a ativista chama o governador de São Paulo de “mau caráter”, “oportunista”, “Botox ambulante”, entre outras ofensas. Em uma postagem no dia 10 de abril, Winter afirmou que Doria inflava os números de mortes por Covid-19 para se beneficiar politicamente.

Sara Winter@_SaraWinter

DORIA ESTÁ INFLANDO O NÚMERO DE MORTES!

Não vamos esquecer que no dia 20 de março de 2020, Ditadoria, o Botox Ambulante de São Paulo, sancionou a resolução nº 26, que considera qualquer cadáver, independentemente da causa mortis, um “portador potencial de infecção por Covid-19”.

691 pessoas estão falando sobre isso

Na madrugada do último domingo (31), Sara Winter acampou com o grupo “300 do Brasil”, em Brasília, com palavras de ordem contra o STF. Na oportunidade, o grupo usava máscaras e portavam tochas. O fato chamou a atenção pela semelhança com atos realizados pela Ku Klux Klan. Em maio, durante entrevista a BBC, ela admitiu que os participantes do grupo mantém armas dentro do acampamento.

Comentarios