Entrevistas M. de Deus: Prefeito Jeferson abre a casa para o Liderança News

28 de agosto de 2015, às 22:56

Família Andrade

Família Andrade

O prefeito de Madre de Deus, Jeferson Andrade (PP), completou mais um ano de vida, nesta sexta-feira (28). O jovem gestor vem se destacando pela atuação invejável em toda região.

Com olhar inovador, Jeferson tem como base da sua administração projetos voltados para a juventude. O município de Madre de Deus tem a melhor escola pública da Bahia, segundo prêmio do Ministério Público e Fundação José Silveira. A população tem à disposição uma  biblioteca informatizada, cursos de apoio a pré-universitário, programa de incentivo a prática de esportes e projetos de aperfeiçoamento, como o Programa Primeiros Passos, com foco no jovem que visa ingressar no mercado de trabalho.

Recentemente, o Prefeito entregou a revitalização do bairro da Cururupeba, um dos mais carentes da cidade e hoje, completamente asfaltado, com praças e toda a estrutura para a comunidade viver com mais dignidade.

Jeferson completa mais um ano de vida tendo como legado uma boa estrutura familiar e o respeito de amigos, servidores públicos e povo de Madre de Deus.

O prefeito recebeu a equipe do Liderança News em sua residência, onde concedeu entrevista. Comendo um caruru, parou alguns instantes para fazer um breve balanço da gestão ao longo desses dois anos e meio a frente da prefeitura de Madre de Deus.

Falamos sobre família, relação com vereadores, secretários, oposição, medos e desejos. Veja abaixo a entrevista na íntegra:

Liderança News – o que o senhor vem aprendendo ao longo do mandato como prefeito?

Jeferson Andrade – Aprendo, a cada dia, a relação de respeito que deve acontecer sempre com os parceiros que trabalham com você, com seus funcionários e com a comunidade. Essa relação de poder ouvir e falar, porque isso é fundamental. Ninguém faz uma gestão sozinho e, lógico, eu não conseguiria chegar até aqui sozinho.

L.N – Teve algum momento que o senhor pensou em desistir?

J.A – Eu não costumo correr de desafios. Pelo contrário, quanto mais o desafio aperta, quanto mais a dificuldade cresce, mais me sinto motivado a trabalhar. Então, toda vez que a coisa aperta, me sinto muito desafiado para resolver os problemas. Madre de Deus merece todo o meu empenho e por isso que eu estou a 250 por hora.

L.N – Qual o maior problema hoje do município?

 J.A  – Hoje, nós vivemos dificuldades por conta do alto índice de desemprego, muito por conta da crise da Petrobrás e por causa da operação Lava a Jato. Madre de Deus tem quase 60% da empregabilidade nas empresas ligadas à Petrobras. Infelizmente, quando a Petrobras não emprega, o comércio ainda pequeno, não comporta a mão de obra e acaba sobrando para a prefeitura.

Esse é um desgaste que estamos sofrendo ao longo desses meses em que essa crise está estabelecida, mas tenho certeza que, com um projeto sério que estamos montando, as novas oportunidades vão chegar e essa fase ruim vai passar também.

L.N – Por que o senhor tem no jovem seu principal alvo de governo?

J.A – Minha idade tem que refletir aquilo que faço diariamente. Durante a campanha, eu assumi um compromisso com quem nos acompanhou de casa em casa. Eu costumo dizer em qualquer lugar onde estou, compromisso não assumo para não cumprir. Assumir com a comunidade lá atrás que seria incansável o trabalho para resgatar nossos jovens do caminho das drogas e da violência. E é isso o que  estamos fazendo. Através de 14 grandes projetos para a juventude, através de um projeto sério de segurança pública que nos levou a  números fantásticos, com um único homicídio praticamente no mês de setembro. Em 2013, encontramos um legado de 13 homicídios em um ano.
Pra mim, é uma felicidade grande ter plantado essa semente, esse sonho e confiança na cabeça da juventude. E eles têm certeza que podem contar comigo.

L.N Os secretários que compõem a gestão do senhor correspondem à altura? Ou a oxigenação que o senhor tanto prega deve acontecer este ano ou no próximo?

J.A – O quadro é sempre complicado. Às vezes, alguém diverge um pouco e nunca temos um quadro 100% coeso. Mas tenho um quadro que me agrada. Alguns secretários se destacam mais, outros menos, mas tenho uma equipe que gosto muito. Tenho uma equipe redonda, considero que dá para fazer um trabalho muito bem feito.

 L.N – A oposição lhe assusta?

J.A – Olhe, eu nunca tive medo de nada (Risos). Nunca perdi nenhum projeto político nessa vida. Não seria esse, pois tenho certeza do trabalho sério que está sendo feito. Conto com amigos fortes, conto com parceiros que acreditam nesse trabalho e, conto acima de tudo, com a comunidade. Se tiver nos planos de Deus, quem será contra esse projeto? É um projeto de desenvolvimento para fazer essa cidade crescer. Aposto muito nisso, nos desígnios de Deus e na vontade do povo de continuar vendo sua terra ser transformada.

L.N – A escolha do nome para vice-prefeito na chapa do senhor será sua? Ou a cúpula do Partido Progressista (PP) irá apontar?

J.A – Veja só, eu sempre ouço todas as bases, mas a última decisão tem que ser minha. O meu partido e todos que fazem parte da coligação que nos elegeu podem pleitear suas respectivas candidaturas, mas a última decisão será minha. Ainda é muito cedo para falar disso. Eu penso que ainda tem muito trabalho para entregar a comunidade e tenho certeza que Madre de Deus está no caminho extraordinário de várias entregas maravilhosas.

L.N – É da preferência do senhor que esse nome saia da Câmara de Vereadores?

 J.A – Pode ser da Câmara ou pode não ser. Não tem nada definido e isso eu falo claramente, tanto com a Câmara, quanto para o secretariado. Pode ser qualquer um da comunidade, pode ser um empresário, um líder religioso… O importante é que esse nome, lá na frente, seja casado de forma a respeitar o projeto político dessa cidade.

 L.N O pré-candidato e ex-vereador Dailton Filho (PMDB), disse certa vez, que não aceitaria ser vice da ex-prefeita Eranita de Brito (sem partido). Nita, por sua vez, afirma que é pré-candidata a prefeita. O nome dela seria uma opção para compor na chapa do senhor?

J.A – Aqui não tem porta fechada. Eu não faço um trabalho de desagregação. Meu trabalho é o contrário, porta aberta, respeitando o espaço de quem já está e, lógico, se lá na frente houver possibilidade de sentar, não há problema nenhum. Mas ainda é muito cedo para falar de composição. Respeito muito a ex-prefeita Nita, como respeito Dailton Filho, que foi vereador aqui no município. Só acho complexa essa questão da gente não se colocar em segundo plano para nada em nome de um projeto. Coloco-me, humildemente, para dialogar com qualquer que seja a plataforma.

L.N – O bairro da Nova Cururupeba foi seu maior feito em Madre de Deus?

J.A – Eu poderia enumerar vários feitos: a creche, que ainda está por vir, a Nova Cururupeba, que foi a maior obra de urbanização de um bairro da história de Madre de Deus, o Centro de Formação Tecnológica, todos os 14 outros projetos para a Juventude. Poderia dizer também àquele que me enche os olhos, que é a Central de Monitoramento de Câmeras, sistema esse que é um dos mais modernos do país. Mas o melhor ainda está por vir.

 L.N – Naiara (esposa) e Helena (filha)

J.A – São minhas paixões. Naiara é minha base com quem eu sento para chorar e para conversar. É a pessoa que me respeita muito e a recíproca é verdadeira. Eu tenho que manter uma linha de muito respeito com minha esposa, de carinho e de atenção. Helena é o grande amor da minha vida, que me faz derreter, prende toda minha atenção. É quem me faz desligar quando é necessário para que eu possa cuidar um pouco mais da família.

L.NQual a mensagem que o senhor deixa para o povo de Madre de Deus?

J.A – Estou muito otimista de que vou fazer nosso povo mais feliz. Eu amo Madre de Deus, sou apaixonado pelo que faço, tarado pelo trabalho. Gosto e me dedico a cada dia de trabalho. Não tenho medo de desafio. Adoro quando alguém se manifesta. Não tenho medo de oposição. Meu lema é o seguinte: vou trabalhar cada vez mais para atender cada cidadão dessa cidade.

Comentarios