SAMU: 192 | Bombeiros: 193 | Defesa Civil: 199 | Polícia Militar: 190 

  • Agência Nacional de Saúde 0800-611997
  • Alô-Trabalho 0800-2850101
  • ANEEL 0800-7272010
  • Ministério dos Transportes 0800-610300
  • Banco Central 0800-992345
  • Caixa Econômica Federal 0800-5740101
  • Central Antiveneno 0800-2844343
  • Central de Transplantes 0800-8832323
  • Central Doação de Órgaos (71) 3356-6776
  • Central Estadual de Regulação Médica 0800-714000
  • Coelba - Ligue Luz 0800-710800
  • Correios 0800-5700100
  • Disque-Meio Ambiente 0800-711400
  • Embasa Saneamento 0800-555195
  • Ministério da Educação 0800-616161
  • Fome Zero 0800-7072003
  • Hemoba (71) 3357-0900
  • Ibama 0800-618080
  • INSS 0800-780191
  • Ministério da Fazenda 0800-7021111
  • Pró-Menor 0800-713020
  • Receitafone 0300-780300
  • SAC 0800-715353
  • SOS-Tortura 0800-7075551
  • Serviço Salvador Atende 156
  • TeleHansen 0800-262001
  • Aeroporto Internacional de Salvador (71) 3204-1010 / 1030

Política CMS intermedeia negociação da campanha salarial dos servidores municipais com a prefeitura

02 de outubro de 2019, às 12:20

Membros do Sindicato dos Servidores da Prefeitura do Salvador (Sindseps) se reuniram, na manhã desta quarta-feira (2), com o secretário de Gestão, Tiago Dantas, em reunião intermediada pelo presidente da Câmara Municipal, Geraldo Júnior e a vereadora Aladilce Souza. Os servidores municipais decretaram greve nesta terça-feira (1º), após alegarem que a prefeitura da capital baiana ainda não apresentou proposta de reajuste salarial.

“Atendendo ao pedido dos servidores municipais de Salvador, a Casa do Povo passa a intermediar a negociação da Campanha Salarial da categoria. Buscando encontrar meios de valorizar quem cuida da gente de nossa cidade, viemos pessoalmente à Secretaria Municipal de Gestão para contribuir no diálogo dos trabalhadores e trabalhadoras com o competente secretário Thiago Dantas”, reforçou Geraldo Júnior.

A data base dos servidores acontece no mês de maio.

Nesta terça, o presidente da Casa ainda recebeu membros da APLB-Sindicato que cobram também reajuste salarial para professores da rede municipal. Ainda segundo integrantes do sindicato, a prefeitura cortou 30% dos salários de professores que não teriam preenchido formulários sobre a situação de seus alunos. De acordo com a entidade, o corte penaliza ainda mais os profissionais e não há previsão legal para essa medida.

Comentarios